Glaucoma Voltar

[Web-Dorado_Zoom]

O glaucoma abrange um grupo de doenças com alterações características do nervo óptico (nervo da visão), que levam à perda do campo visual e, nos estágios finais, à cegueira. Geralmente os doentes com glaucoma apresentam pressão intraocular elevada, mas pode existir glaucoma com pressão intraocular normal.

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível em todo o mundo. O tipo de glaucoma mais comum no nosso país é primário de ângulo aberto, que atinge pessoas com mais de 40 anos, sendo mais frequente seu diagnóstico após os 60 anos.

Os principais fatores de risco para a doença são a pressão intraocular elevada (> 21mmHg), histórico familiar da doença, idade, raça negra e miopia alta.

O glaucoma atinge pessoas de outras idades, como recém-nascidos (glaucoma congênito), crianças (glaucoma infantil) e jovens (glaucoma juvenil), embora com frequência menor.

O glaucoma também pode ser primário de ângulo fechado, quando a íris e o cristalino contribuem para estreitar ou fechar o ângulo da câmara anterior, local de drenagem do líquido intraocular. Além disso, o glaucoma pode ser secundário, isto é, se desenvolver devido a trauma, inflamação ou tumor ocular, ao diabetes, a oclusões venosas e ao uso de corticoides.

O diagnóstico é feito durante uma consulta com o oftalmologista e envolve, além do exame oftalmológico:

    • 1. A medida da pressão intraocular;
    • 2. A avaliação do nervo óptico com exame clínico, fotografia e análise computadorizada (tomografia do nervo); e
    3. A avaliação do campo visual.

O tratamento se baseia na redução da pressão intraocular, em todos os tipos de glaucoma, inclusive naqueles em que a pressão é normal. O tratamento envolve:

    • 1. O uso de colírios de diferentes classes, que podem ser associados;
    • 2. O uso de laser; e
    3. Cirurgias, que envolvem a criação de uma nova saída para o líquido intraocular (trabeculectomia), implante de tubo de drenagem e coagulação a laser dos processos ciliares (onde é produzido o líquido intraocular – ciclofoto, que pode ser transescleral ou endoscópica).

Além desses, comuns a todos os glaucoma, há tratamentos específicos para os de ângulo fechado e para alguns glaucomas secundários. Em casos específicos, a retirada da catarata (facectomia) pode fazer parte do tratamento do glaucoma.

O Setor de Glaucoma do Departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina / Universidade Federal de São Paulo / Hospital São Paulo tem como objetivos a assistência, o ensino e a pesquisa, tornando a Oftalmologia moderna acessível a todos, e visa a ser referência internacional no estudo e tratamento dos glaucomas.

Na área da assistência, a nossa filosofia é aliar a tecnologia de ponta disponível no Setor a profissionais altamente especializados e capacitados para utilizá-la, interpretar e associar seus resultados e, com o exame clínico, propiciar diagnósticos e condutas criteriosas, seguindo os moldes da Medicina Baseada em Evidência e da Boa Prática Clínica.

Pelo Sistema Único de Saúde disponibilizamos todos os exames empregados para o diagnóstico precoce e acompanhamento do glaucoma e todos os procedimentos cirúrgicos atualmente aprovados pelo Conselho Federal de Medicina. Além disso, oferecemos ambulatório especializado em glaucoma congênito e infantil, o que permite maior humanização do atendimento a crianças.

Como serviço terciário, atendemos, preferencialmente, pacientes referenciados por serviços primários (postos de saúde, UBS etc) e secundários da rede pública de saúde, assim podendo nos dedicar aos casos mais complexos.

Na área do ensino oferecemos:
Como Setor do Departamento, participamos do programa de Residência Médica, aprovado pelo Ministério da Educação e pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia e que recebe médicos de todo o país para especialização em Oftalmologia.

Programa de Especialização (fellowship) em Glaucoma (clínico e cirúrgico), com dois anos de duração, para médicos-oftalmologistas, possuidores de título de especialista. Trata-se de curso oficial da Pró-Reitoria de Extensão da UNIFESP e tem seleção anual por meio de concurso público de provas.

Programa de pós-graduação, níveis mestrado, doutorado e pós-doutorado, reconhecido pela CAPES (nota máxima, 7), CNPq e FAPESP.

Possibilidade de intercâmbio com as melhores universidades dos Estados Unidos, Canadá e Europa, proporcionando pós-graduação em nível de doutorado (sanduíche) e pós-doutorado. Vários são os componentes do setor com doutorado e pós-doutorado, no Brasil e no exterior, e livre-docência.

Nos últimos anos foram inúmeras as participações em congressos nacionais e internacionais e as publicações de artigos nas principais revistas brasileiras e estrangeiras, possuindo o Setor um excelente índice de impacto de publicação.

O Setor tem-se firmado como difusor de conhecimento e de novas tecnologias e tratamentos para o Brasil e América Latina.

Na área da pesquisa, desenvolvemos tratamentos clínicos e cirúrgicos de caráter experimental, sob supervisão do Comitê de Ética e Pesquisa da UNIFESP e do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) do Ministério da Saúde. Neste âmbito, o Setor tem participado de pesquisas de ponta, internacionais e nacionais, sobre o diagnóstico e tratamento do Glaucoma, gerando inúmeras teses de mestrado, doutorado e livre-docência.


Chefe do Setor

Luiz Alberto Soares de Melo Junior

Vice Chefe

Ivan Maynart Tavares

Coordenadora do Núcleo de Glaucoma Pediátrico
Camila Fonseca Netto

Docentes 
Augusto Paranhos Jr
Ivan Maynart Tavares

Paulo Augusto de Arruda Melo

Orientadores da Pós-Graduação

Augusto Paranhos Jr.

Ivan Maynart Tavares

Tiago dos Santos Prata

Professores Afiliados

Carolina Gracitelli

Roberto Murad Vessani

Tiago dos Santos Prata

Chefes de Ambulatório

Aline Katia Siqueira Souza (quinta-feira)

André Luiz de Freitas Silva (segunda-feira)
Camila Fonseca Netto (quarta-feira manhã)
Ivan Maynart Tavares (sexta-feira manhã)

Pilar de Andrade Moreno (sexta-feira tarde)
Roberto Murad Vessani (terça-feira)
Sérgio Henrique Teixeira (quarta-feira tarde)

Assistentes Colaboradores

Andréa Kara José

Bruno Esporcatte

Christiane Rolim
Fabio Zantut
Gabriela Shigetomi
Luciana Fernandez
Mikael Chun
Regina Cele Silveira
Ruth Alice Rosenhek Schor

Fellows de Segundo Ano (F2) (2019)
Camila Endo
Lilian Machado
Norton Yanagimo
Rafael Peres
Thalyta Frota

Fellows de Primeiro Ano (F1) (2019)
Elaine Watanabe
Gustavo Caiado
Henrique Soenzima
Matheus Silva
Pedro Abreu

Tecnólogo-Oftálmico
Bruno Escute

Psicologa Voluntária no Glaucoma Pediátrico
Andrea Oliveira

— Atualizado em 30/10/2020 —