Voltar Feedback da experiência de uma semana na EPM

+100%-
Relatório da experiência de uma semana na EPM:

11/07: Iniciei a semana em reunião com Edmar, para apresentação de seu projeto de pesquisa. Me ensinou o funcionamento do dispositivo criado para captura de imagens por infravermelho. Após, assisti a uma proveitosa aula de Neuro oftalmologia com os residentes, seguida do esperado Grand Round.

Cabe alguns comentários: a oportunidade de trabalhar com profissionais de outras área de conhecimento é fascinante. Já tive oportunidade de trabalhar em dupla com uma engenheira de produção em um projeto de incentivo à inovação (PII) na Fiocruz de BH –  o trabalho multidisciplinar é instigante e os resultados são surpreendentes. Creio que é um pouco do espírito medhacker, que tanto nos instiga.

A aula para os residentes foi de altíssima qualidade, mas o que mais impressiona o recém-chegado é o Grand Round. A qualidade da apresentação dos casos clínicos e o altíssimo nível de discussão entre os residentes (que só é possível devido à altíssima qualidade de formação dos mesmos) são impecáveis. Somente me recordo de qualidade às alturas quando morei em Chicago para o internato de cirurgia. Como apaixonado por esses ambientes acadêmicos, saí literalmente vislumbrado por haver, semanalmente, reunião tão rica.

12/07: Passei a manhã no INCAT. Auxiliei Edmar na coleta de dados, com a sorte de acompanhar a discussão de casos junto ao dr. Walton Nosé. Para mim foi uma enorme honra participar das discussões. É fascinante para qualquer residente presenciar o raciocínio clínico tão completo como o dele –  sua postura e inteligência instiga-nos a sermos cada dia melhor.

No período da tarde, Edmar e eu fizemos uma revisão de todas as fotos já capturadas. Após acompanhei várias cirurgias de R2/R3/fellows, me chamando atenção especialmente a parte organizacional do serviço, como tudo flui e se articula bem, tornando a rotina proveitosa a todos. Ao término das atividades, fiquei muito feliz quando me convidaram para um happy hour. Dentro e fora do ambiente da escola, todos foram sempre muito agradáveis.

13/07: Iniciei a manhã na aula para residentes sobre ECO-B seguida da reunião DEOC/córnea, mais um encontro acadêmico exemplar. Após, acompanhei o ambulatório do INCAT. Quero ressaltar como os residentes e fellows me acolheram bem na rotina do ambulatório, sempre me incluindo nas discussões dos casos.

No período da tarde, resolvi, despretensiosamente, acompanhar o ambulatório geral de refração, com o objetivo de ver sua organização e comparar com o que temos no nosso serviço. Mais um vez, fui surpreendido. Contamos com a preceptoria do dr. Rafael Magdaleno, que fazia de casos aparentemente simples/usuais um terreno fértil para discussões de temas relacionados à refração. Discussão muito rica, profunda, instigante à qualquer residente. Melhor ambulatório de refração que já participei. Seguimos para resolução de questões de refração orientadas pelo dr. Rafael, que conduziu toda a discussão com maestria. Valeu cada segundo no ambulatório.

14/07: Dia de acompanhamento do Dr. Milton Yogi fora do Departamento. (manhã: centro cirúrgico (fora do departamento); Tarde: reunião medhacker; noite: aulas na Santa Casa). Poder conviver este dia com Dr. Milton e não sei dizer o que foi mais produtivo: o acompanhamento de sua rotina cirúrgica, na qual se preocupava em me explicar detalhes de todos os casos da manhã, para que eu realmente aprendesse; um tarde de discussão ao espírito medhacker – foram horas que nem vimos passando. Noite de aulas na Santa Casa, também excelentes. Não posso deixar de citar que o tempo que gastamos nos deslocamentos por São Paulo foram dos mais proveitosos: com conversas das mais variadas possíveis, foi um privilégio aprender um pouco da visão de mundo do Dr. Milton. As conversas fluíram tão naturais, que a sensação que fico é que já conhecia o conhecia há anos. Sua recepção e atenção foram impecáveis. Foi daqueles dias que colocamos a cabeça no travesseiro realizados!

15/07: Reunião Catatara e Refrativa, seguida do ambulatório no INCAT, novamente com a presença ilustre do dr. Walton Nosé,  para fechar a semana com chave de ouro.

Sugestões para futuros estágios de uma semana.

O ambiente no Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais é tão rico que uma programação fixa ou linear não é possível (ou seria desperdício). Ocorre de forma simultânea várias atividades de qualidades ímpares. Cabe ao estagiário se interar de antemão de todas as atividades programadas para a semana (pedindo essas orientações na secretaria do departamento) e preencher sua agenda de forma personalizada (seja com atividades que não tem em seu serviço de origem ou em alguma subespecialidade de maior interesse). A grade de atividades montada pode ser diversificada, mas a certeza é de uma semana muito produtiva de vivência em um ambiente pioneiro na oftalmologia.

Seguem algumas dicas que podem ser úteis para futuros estagiários.

“Must do”:

-Assista a todas as aulas para os residentes (geralmente segunda-feira antes do Grand Round e quarta-feira 7h).

– Participe do Grand Round.

– Acompanhe ambulatórios de seu interesse.

– Assista às reuniões clínicas dos vários setores do Departamento.

– Faça contato/interação com residentes e fellow –  são eles que farão de sua rotina a mais proveitosa possível e te dará as melhores dicas para aproveitar a semana ao máximo.

-Acompanhe a rotina no centro cirúrgico.

-Participar/vivenciar algum projeto (conheci os laboratórios de bioengenharia ocular/medhackers) e conhecer os laboratórios de pesquisa do Departamento.