Quem somos

[Web-Dorado_Zoom]

Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP teve início em 1937 e há 84 anos forma, com excelência, oftalmologistas e tecnólogos-oftálmicos que atuam nas diferentes regiões do Brasil e no exterior. Participamos da Graduação em Medicina e em Tecnologia Oftálmica, da Extensão e da Pós-graduação da Escola Paulista de Medicina – Universidade Federal de São Paulo; e somos responsáveis pela clínica oftalmológica do Hospital São Paulo – HU e HU2 e pela assessoria ao Banco de Olhos do HSP. Nossa presença é marcante entre as instituições oftalmológicas mais importantes do mundo.

O Serviço de Oftalmologia iniciou seus trabalhos assistenciais e de pesquisas em 1937, mesmo antes da primeira turma desta Escola atingir a sexta série. O Prof. Moacyr Eik Álvaro foi o primeiro catedrático, e fundou, na Rua Condessa de São Joaquim em São Paulo, graças a donativos e recursos próprios, a 1ª Clínica Oftalmológica da Escola Paulista de Medicina. Com as pequenas taxas cobradas no atendimento aos docentes, foram aos poucos sendo ampliadas as instalações e aparelhamento. Em 1942, com médicos para ali atraídos e com os alunos que se iniciavam na especialidade, Moacyr Álvaro fundou o Centro de Estudos de Oftalmologia, que hoje tem seu nome e que foi berço dos Cursos de Pós-graduação em Oftalmologia e do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.

Prof. Moacyr E. Álvaro realizou estágio nas melhores clínicas oftalmológicas da Europa e EUA. Ele teve forte atuação internacional, tendo sido o criador dos congressos oftalmológicos nacionais, sul-americanos e pan-americanos. Foi um dos fundadores da Associação Pan-americana de Oftalmologia, membro do International Council of Ophthalmology e Governador do American College of Surgeons. Em 1945, nesta Casa, instituíram-se os primeiros cursos de especialização em Oftalmologia e, em 1947, o primeiro curso de Ortóptica (posteriormente remodelado e nomeado Tecnologia Oftálmica) no Brasil. A Oftalmologia brasileira deve a Moacyr Álvaro muito do seu desenvolvimento. Permaneceu como professor catedrático até 1959, quando, prematuramente, veio a falecer.

Após a coordenação da Disciplina de Oftalmologia pelo Prof. Moacyr Eik Álvaro, o Prof. Renato de Toledo assumiu a Cátedra, e elaborou a estruturação em Seções Especializadas, onde os residentes e pós-graduandos pudessem estagiar. O quadro de professores da Disciplina, na época, era composto por Renato de Toledo, como professor catedrático; Rubens Belfort Mattos, José Belmiro de Castro Moreira, Paulo Bei, Milton Correa Meyer, como professores adjuntos; José Carlos Reys e Ricardo Uras, como assistentes; Rubens Belfort Jr., como auxiliar de ensino; e Ernesto Consoni, como colaborador, além das ortoptistas Alexina Ferreira, Dalel Haddad, Maria Cecília Lapa da Silva, Doris Blay e Sueli Muller. Os professores Renato de Toledo e Rubens Belfort Mattos também desempenharam papel fundamental na nossa internacionalização, exercendo importantes funções na Associação Pan-americana de Oftalmologia.

A Oftalmologia sempre contou com a colaboração de profissionais voluntários, e destacamos o saudoso Prof. José Carlos Gouvêa Pacheco, responsável pelo estágio em Oncologia Ocular, uma vez que era chefe da Clínica Oftalmológica do Hospital A. C. Camargo da Fundação Antônio Prudente, além de professor titular livre-docente da Faculdade de Medicina de Mogi das Cruzes e de Taubaté.

Outros professores contribuíram grandemente na formação do Departamento de Oftalmologia: Alexandre Tena Almada, Hamleto Emílio Molinari, José Ricardo Carvalho de Lima Rehder, Mariza Toledo de Abreu, Pedro Paulo Bonomo, Marinho Jorge Scarpi e Paulo Augusto de Arruda Mello. Esses dois últimos se aposentaram como professores titulares, em 2016 e 2019, respectivamente.

O Prof. Marinho Jorge Scarpi foi Pró-Reitor de Administração da UNIFESP, coordenador do nosso Mestrado Profissional, do Centro de Treinamento Esportivo e de Capacitação Profissional – CETECAPRO / UNIFESP, do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão da UNIFESP, e do MBA em Gestão de Negócios em Oftalmologia da Faculdade Paulista de Ciências da Saúde e IPEPO. Atuou como Membro do Comitê Nacional de Assessoramento e Apoio às Ações de Saúde do Plano Nacional da Pessoa com Deficiência do Ministério da Saúde, e foi Presidente da Fundação Special Olympics Brasil.

O Prof. Paulo Augusto de Arruda Melo se diferenciou na área de Glaucoma, participando das lideranças da Oftalmologia nacional, presidindo a Sociedade Brasileira de Glaucoma, a Sociedade Brasileira de Laser e Cirurgia em Oftalmologia e o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, órgão máximo da especialidade, em 2009; e latino-americana, presidindo as sociedades pan-americana e latino-americana de glaucoma, além do Conselho Pan-americano de Professores de Oftalmologia. Também fundou e presidiu a Associação Brasileira dos Portadores de Glaucoma, seus Amigos e Familiares (ABRAG).

O Prof. Rubens Belfort Mattos Jr., um dos expoentes da Oftalmologia brasileira e internacional, completou, em 2021, 32 anos de atuação como Professor Titular, trazendo ao Departamento características inovadoras e modernas, tanto no ensino, como na pesquisa e assistência. Exerce intensa atividade científica e representativa nacional e internacional, destacando-se a Associação Pan-americana de Oftalmologia, onde foi presidente, e o International Council of Ophthalmology. Em 2020, foi empossado Presidente da Academia Nacional de Medicina. Foi presidente da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) de 2009 a 2013, e do World Ophthalmology Congress (2006). Foi membro do Conselho Técnico Científico e também do Conselho Superior da CAPES. Professor Honoris causa das Universidades de Assuncion (Paraguai), de Lima (Peru), de Medicina e Saúde Pública da Bahia e da Federal do Paraná. Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, Academia Brasileira de Ciências, Academia Ophthalmologica Internationalis, Academia Nacional de Farmácia, Academia Brasileira de Oftalmologia e do Conselho Nacional de Ciências e Tecnologia. Com uma altamente profícua produção intelectual em oftalmologia e visão, mesmo aposentado continua professor da Pós-graduação, sendo Pesquisador 1-A do CNPq, e defendendo os interesses do Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais, por meio de sua gestão no IPEPO – Instituto da Visão, do qual é presidente desde 2014.

Em novembro de 1989, o Departamento tornou-se independente, denominando-se Departamento de Oftalmologia. Em 2013, houve nova alteração de nomenclatura para Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais, por abrigar um curso de graduação em Tecnologia Oftálmica, voltado para as ciências visuais.

Em 1990 os docentes fundaram o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisa em Oftalmologia – IPEPO, entidade sem fins lucrativos, de caráter filantrópico que presta serviços médicos e cirúrgicos em projetos assistenciais e didáticos com a missão de promover, de modo sustentável e inovador, a gestão de recursos, apoiando o ensino, pesquisa e assistência oftalmológica.

Em 2006 o IPEPO e o Departamento iniciaram a construção do prédio da Oftalmologia, na Rua Botucatu 821, englobando o recém-inaugurado (2002) “predinho” da Oftalmologia, o Edifício José Carlos Reys, e terreno vizinho cedido pela EMURB. Em 2010, a UNIFESP assumiu a propriedade do prédio, e em 2019 foi inaugurado o Hospital Universitário II, com dois andares e meio dedicados à Oftalmologia, perfazendo acréscimo de quase 2.400 m2 à nossa área, e permitindo mais conforto aos pacientes do SUS e aos profissionais de saúde.

O Departamento teve como primeiro chefe o Prof. Moacyr Álvaro, que foi sucedido por: Renato de Toledo, José Belmiro Moreira, Rubens Belfort Jr., José Carlos Reys (1996 – 2002), Ana Luisa Hofling-Lima (2002 – 2008), Denise de Freitas (2009 – 2014), Paulo Schor (2014 – 2017), Mauro Campos (2017 – 2020) e, atualmente, Ivan Maynart Tavares (2020 – …).

Obtiveram o título de Livre-Docente pelo Departamento: Rubens Belfort Mattos (1957), Moacyr E. Álvaro, Renato de Toledo, Rubens Belfort Jr., Sebastião Cronemberger, Ana Luisa Hofling-Lima, Mauro S. de Q. Campos (1996), Michel E. Farah Neto (1998), Walton Nosé (1998), Denise de Freitas (2000), Wallace Chamon A. de Siqueira (2000), João Antonio Prata Jr. e Haroldo Moraes Jr. (2001), Marinho J. Scarpi (2002), Cristina Muccioli (2002), Solange R. Salomão (2003), Paulo Schor (2003), Augusto Paranhos Jr. (2006), José Álvaro P. Gomes (2008), Mauricio Maia (2010), Ricardo P. Casaroli Marano (2013) e Ivan Maynart Tavares (2017).

Em julho de 2021, o corpo docente permanente assim se constitui: Ana Luisa Hofling-Lima e Solange Rios Salomão, professoras titulares; Adriana Berezovsky, Denise de Freitas, Mauro Campos, Michel Farah Neto, Paula Sacai Munhoz e Paulo Schor, professores associados; Augusto Paranhos Jr, Caio Vinicius Regatieri, Cristina Muccioli, Filipe de Oliveira, Ivan Maynart Tavares, José Álvaro Pereira Gomes, Maurício Maia, Nívea Nunes Ferraz, Norma Allemann, Vagner Rogério dos Santos, Wallace Chamon e Walton Nosé, professores adjuntos. Além dos professores temporários: Tais Wakamatsu, professora visitante; e os professores afiliados: Caroline Gracitelli, Eduardo B. Rodrigues, Juliana Sallum, Lauro Augusto de Oliveira, Luiz Henrique Lima, Nilva Bueno Ambrogini, Priscila Cristovam, Ricardo Casaroli, Rossen Hazarbassonov, Simone Bison e Tammy Osaki.  O corpo docente tem intensa atividade científica e representativa nacional e internacional, sendo vários atuais ou ex-presidentes das sociedades nacionais e supranacionais médicas e representativas de suas especialidades.

Para cumprir seus objetivos de ensino, pesquisa e assistência, o Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina estruturou-se em setores clínicos e laboratórios de pesquisa e ensino – Anestesia, Catarata e Cirurgia Refrativa (Óptica Cirúrgica), Doenças Externas Oculares e Córnea, Eletrofisiologia, Genética Ocular, Glaucoma, Lentes de Contato e Refração, Motilidade Ocular, Neuroftalmologia, Oftalmopediatria, Oncologia Ocular, Órbita, Pesquisa Clínica, Plástica Ocular, Psicologia, Reabilitação Visual, Retina, Trauma e Pronto-Socorro, Ultrassom, Uveítes e AIDS, Vias Lacrimais; e os setores de pesquisa e inovação – Inovação de Tecnologia em Saúde, Bioengenharia Ocular, Superfície Ocular – células tronco, Microbiologia e Biologia Molecular, Centro de Treinamento de Pesquisa Cirúrgica e TELE-Visão.

O Centro de Estudos em Oftalmologia Moacyr E. Álvaro realiza cursos complementares para a formação do corpo clínico e alunos, além de serem abertos à comunidade oftalmológica, e também disponibiliza, para uso interno, uma biblioteca completa e atualizada em ciências visuais.

Todo o grupo, semanalmente, tem a oportunidade de frequentar as reuniões clínicas dos setores, e a reunião geral do serviço (Grand Rounds), do qual participam várias outras instituições de ensino nacionais e internacionais.

Em reconhecimento àqueles(as) que muito contribuíram para a Oftalmologia nacional, o  Departamento outorga a “Medalha de Ouro Moacyr E. Álvaro”, anualmente, durante o SIMASP; e convida membros destacados do Departamento e da EPM para proferir a “Palestra Renato de Toledo” durante a formatura dos residentes e início do ano letivo.

Laureados com a “Medalha de Ouro Moacyr E. Álvaro” (em ordem alfabética): Alan Scott, Alfred Sommer (o mais recente, em 2020), Almiro Pinto Azeredo, Alvaro Ferrioli, Antônio Salim Curiati, Armando de Arruda Novaes, Armando Gallo, Benjamin F. Boyd, Carsten Heinz Helmut Meyer, Cesário de Andrade, Charles Kelman, Claes Dohlman, Claudio Luiz Lottenberg, Claudio Silveira, Cristian Luc, David E. I. Pyott, David W. Parke II, Edilberto de Campos, Escola Paulista de Medicina (EPM), Evaldo Campos, Fabio Feldman, Felipe A. Medeiros, Geraldo Queiroga, Gilberto Kassab, Hanaru Zauberman, Harley E. A. Bicas, Heitor Marback, Helena Bonciani Nader, Helio Egydio Nogueira, Hercílio Ramos, Hilton Rocha, Ivo Correa Meyer, Jacob Moyses Cohen, João Alberto Capiberibe, João Penido Burnier, João Orlando Ribeiro Gonçalves, José Alberto Tozzi, José Belmiro de Castro Moreira, José Carlos Gouvêa Pacheco, José Luiz Gomes do Amaral, José Pereira Gomes, José Roberto Ferraro, José Serra, Kenneth R. Kenyon, Leon Ellwein, Liana Ventura, Luis Eurico Ferreira, Luiz Roberto Barradas Barata, Luiza Erundina de Sousa, Mark J. Mannis, Mark S. Humayun, Miguel Burnier, Miguel Giannini, Moacyr Eik Álvaro (o 1ª, em 1955), Nassim Calixto, Nelson Marques, Newton Kara José, Paschoal Martinez, Peter J. McDonnell, Peter R. Laibson, Philip J. Rosenfeld, Rafael Ernane Almeida Andrade, Renato de Toledo, Ricardo Affonso Ferreira, Robert Ritch, Robert N. Weinreb, Rubens Belfort Mattos, Stephen Ryan, Tim Sear, Victor Siaulys, Walter Feldmann, Walter Gonçalves de Freitas e Werther Duque Estrada.

Conferencistas da Palestra Renato de Toledo (em ordem cronológica): Renato de Toledo (1981), José Belmiro de Castro Moreira, José Carlos Gouvêa Pacheco, Armando de Arruda Novaes, Ricardo Luiz Smith, José Carlos Reys, Rubens Belfort Jr., Ernesto Consoni Filho, José Ricardo Carvalho Lima Rehder, Paulo Augusto de Arruda Mello, Ricardo Uras, João Amaro Ferrari Silva, Wander Agmont Silva, Waldir Martins Portellinha, Walton Nosé, Clélia Maria Erwenne, Marinho Jorge Scarpi, Mariza Toledo de Abreu, Pedro Paulo de Oliveira Bonomo, Ana Luisa Holfing de Lima, Michel Eid Farah, Mauro Silveira de Queiroz Campos, Denise de Freitas, Wallace Chamon Alves de Siqueira, João Antônio Prata Jr., Paulo Schor, Cristina Muccioli, Solange Rios Salomão, Augusto Paranhos Junior, José Álvaro Pereira Gomes, Mauricio Maia, Miguel Burnier Jr., Adriana Berezovsky, Sebastião Cronemberger Sobrinho, Haroldo Vieira de Moraes Jr., Luiz Vicente Rizzo, Nilva Simeren Bueno de Moraes, Ivan Maynart Tavares e Ronaldo Ramos Laranjeira (2019).

 

Assistência à saúde

O Departamento, como clínica oftalmológica dos hospitais universitários da UNIFESP, tornou-se referência nacional e em toda a América do Sul em assistência oftalmológica de ponta pelo SUS. Conseguimos oferecer todos os tratamentos aprovados no país, com alta qualidade e alta eficiência, por meio de equipamentos de alta tecnologia e da formação contínua de especialistas, que são referência em suas áreas e estão espalhados por todo o país e pelo mundo. Assim cumprimos funções da Universidade de gerar e semear conhecimento, possibilitando a criação de polos oftalmológicos, em todo o Brasil, por nossos egressos.

Em 2019, foram mais de 106 mil consultas ambulatoriais, mais de 70 mil consultas de pronto-socorro da oftalmologia, mais de 75 mil exames complementares e mais de 9 mil cirurgias microscópicas, contribuindo enormemente para melhorar a saúde oftalmológica da população assistida pelo SUS.

Além do atendimento de rotina, desenvolvemos campanhas comunitárias através de ações preventivas e terapêuticas, em diversos locais do país, dando ênfase especial aos segmentos sociais mais vulneráveis às doenças oculares e à cegueira (crianças e idosos), com programas de sucesso que vão desde o exame de recém-nascidos prematuros até pacientes centenários.

Importante registrar a fundamental contribuição de verbas de emendas parlamentares, de verbas de projetos de pesquisa e de recursos obtidos com cursos organizados pelo Departamento, destacando-se o SIMASP (Simpósio Internacional Moacyr Álvaro), que reúne 2.500 participantes), e o Curso de Ciências Básicas em Oftalmologia, que foi o 1º no país reconhecido pelo CBO, em 1978, contando, nos últimos anos, com mais de 100 residentes de 1º ano de todo o país, Portugal e América do Sul. Ambos são realizados, anualmente, há 43 anos, e nos permitem adquirir tecnologia de ponta para a assistência, ensino e pesquisa.

Ensino e pesquisa

Participamos dos cursos de Graduação em Medicina e em Tecnologia Oftálmica, e oferecemos cursos de extensão, especialização, aperfeiçoamento, mestrado, doutorado e pós-doutorado, frequentados por profissionais de todo o Brasil e do exterior, em busca da excelência de um centro de referência internacional. Mantemos convênios de intercâmbio com instituições nacionais e internacionais.

Ensino de Graduação em Medicina e em Tecnologia Oftálmica, oferecendo oportunidades e recursos econômicos e humanos para manutenção dessas atividades de ensino em nível de excelência de alta qualidade intelectual e tecnológica.

Durante o quarto ano da Medicina, o Departamento de Oftalmologia realiza atividade concentrada e intensiva, que visa a fornecer informações teóricas aos estudantes. Trata-se de duas semanas em que os professores e integrantes do Departamento ministram aulas sobre temas de interesse do médico não oftalmologista. As aulas são agrupadas em seções anatômicas e doenças oculares. Já durante o quinto ano – internato, o Departamento recebe os alunos de Medicina para uma imersão em aulas práticas em seus ambulatórios e centro cirúrgico, a fim de sedimentar a teoria passada no ano anterior.

O curso de Tecnologia Oftálmica foi o primeiro curso tecnológico da UNIFESP. Esse curso teve como embrião o Curso de Ortóptica, oferecido pela universidade a partir de 1962. Desde 1997, ele é considerado referência de qualidade na área pelo MEC. Tem como filosofia a formação de profissionais aptos a colaborar com a oftalmologia nos cuidados da saúde ocular, desempenhando funções de avaliação, pesquisa e prevenção de problemas oculares, por meio de tecnologia cada vez mais avançada, bem como a assistência à população e ao fomento de produção de novos conhecimentos científico-tecnológicos, de forma integrada e multidisciplinar. Nesse sentido, oferece educação para o trabalho aliando uma base teórica sólida e abrangente a uma formação profissional específica de alta qualidade.

O curso de Pós-Graduação em Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina, teve a sua criação em 1980, sempre caracterizado pelo pioneirismo e desenvolvimento, proporcionando a formação pós-graduada de alto nível em Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado, coordenado pelo Prof. Dr. Renato de Toledo, que permaneceu na função de 1980 a 1985.

Tivemos, então, como coordenadores: José Belmiro de Castro Moreira (1985 – 1988), Pedro Paulo de Oliveira Bonomo (1988 – 1991); Rubens Belfort Jr. (1991 – 1993), Mariza Toledo de Abreu Leite (1993 – 2006), Denise de Freitas (2006 – 2009), Mauro Silveira de Queiroz Campos (2009 – 2014), Denise de Freitas (2014 – 2018) e Augusto Paranhos Jr. (2018 – 2021).

Dentro do campo da Oftalmologia, ocorreu o progresso de áreas emergentes desenvolvidas por profissionais médicos e executadas por profissionais de saúde e afins tanto em termos de atendimento quanto de pesquisa. Dentre elas podemos citar áreas de Tecnologia Oftálmica e inúmeros outros ramos do conhecimento como Psicologia, Biologia, Enfermagem, Veterinária, Economia, Administração e Direito. Com o avanço nessas novas áreas e da própria Oftalmologia, o número de profissionais não médicos torna-se a cada dia maior, criando uma demanda natural por uma formação pós-graduada, além da necessidade do trabalho conjunto de profissionais médicos e de saúde mostrando-se cada vez mais integrada.

Dessa forma, o curso de Pós-graduação em Oftalmologia decidiu conceder também, desde 1991, e em conformidade com os estatutos da Comissão de Pós-graduação da UNIFESP, títulos de mestre e doutor em Ciências Visuais. Os candidatos a esses títulos seguem os mesmos critérios já consagrados para o nosso curso, com algumas diferenças direcionadas à formação do cientista visual, tais como a criação de cursos especiais com ênfase particular em aspectos específicos. São profissionais que desempenham atividades relacionadas à saúde tais comotecnólogos oftálmicos, biólogos, enfermeiros, psicólogos, profissionais da área de administração da saúde, da economia e do direito, médicos veterinários, engenheiros, e outras atividades de nível universitário.

Nos últimos anos o programa tem mantido conceito seis ou sete pela CAPES – Área Medicina III, entre os cursos de pós-graduação em Oftalmologia do Brasil, com desempenho equivalente aos mais importantes centros internacionais de ensino e pesquisa.

O programa de pós-graduação Mestrado Profissional em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular, inicialmente denominado de MP em Oftalmologia e Ciências Visuais, abriu inscrição para a primeira turma em 2013. Desde então, 50 alunos foram aprovados como Mestres Profissionais em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular, e temos atualmente inscritos 26 alunos no programa.

Em consonância com as diretrizes da Pró-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa da UNIFESP, o Departamento propôs a criação de um programa de Mestrado Profissional, com a visão de promover o aprimoramento profissional em subáreas ligadas a saúde ocular, por meio de experiências técnico-científicas práticas e inovadoras, estabelecendo interface com os setores públicos e privados para atender a essa demanda específica da sociedade. O programa possui as seguintes áreas de concentração: pesquisa clínica e laboratorial em saúde ocular; gestão, telemedicina, patentes; e reabilitação ocular e pesquisa tecnológica em saúde ocular

Para atender à demanda por Professores Orientadores nas áreas de concentração, selecionaram-se docentes com perfil de ação compatível com as propostas das linhas de pesquisa e que possam contribuir para o foco produtivo esperado dos programas de Mestrado Profissional. O histórico de participações dos docentes do Departamento em Conselhos, Comitês, Comissões e outras atividades de caráter público municipal, estadual e federal, bem como sua inclusão em nível internacional, auxiliam no direcionamento das atividades técnico-científicas do programa. Alia-se a esse corpo docente qualificado infraestrutura técnico-administrativa reconhecida como uma das melhores do Brasil na área de Oftalmologia e Ciências Visuais, conforme avaliação da CAPES.

Coordenadores do MP: Mauro Campos (2013 – 2014), Denise de Freitas (2014 – 2014), Marinho Jorge Scarpi (2014 – 2016) e José Álvaro P. Gomes (2017 – 2021).

Nossos cursos de pós-graduação mantêm a liderança em todo o Brasil, no conhecimento dos processos da visão e da oftalmologia, de forma abrangente e multidisciplinar. Em 2019 obteve o maior índice de impacto de publicações em sua área CAPES. Envolvem médicos, tecnólogos, psicólogos, biólogos, enfermeiros e outros profissionais de atividades da saúde ocular e visual. Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado acadêmicos em Oftalmologia e Ciências Visuais, e um Mestrado Profissional em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular. Atualmente são 106 alunos de pós-graduação stricto sensu; e já formamos mais de 570 mestres ou doutores, que estão espalhados por todo o país, em inúmeras universidades em outras cidades e estados. No triênio 2017-2019 foram publicados mais de 500 artigos em revistas científicas peer-review, além de patentes e de inúmeros livros e capítulos.

O Setor de Pesquisa Clínica em Oftalmologia, em parceria com as mais conceituadas instituições de todo o mundo, desenvolve e lidera inúmeros projetos de pesquisa clínica, para desenvolvimento e aprovação de novas terapias e medicamentos.

O Curso de Especialização em Oftalmologia foi credenciado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia em 1978, sob chefia do Prof. Renato de Toledo, e o Programa de Residência foi credenciado pelo CNRM/MEC em 1982.

Nosso Programa de Residência Médica em Oftalmologia, que se mantém entre os dois melhores do país há vários anos, tem como objetivo capacitar, com excelência, médicos para a prevenção, diagnóstico e tratamento de todo o espectro de alterações e doenças oftalmológicas. Teve sua primeira turma em 1964, e já formou mais de 500 médicos oftalmologistas, que se encontram distribuídos por todo o país e no exterior.

O programa tem duração de três anos e, atualmente, recebe 10 médicos por ano, além de quatro oftalmologistas para um quarto ano opcional no Programa de Residência Médica em Transplante de Córnea (desde 2010), dando um total de 34 médicos residentes, financiados pelo MEC. As atividades dos residentes são desenvolvidas inteiramente no complexo Hospital São Paulo (HU-HSP), HU2 e EPM. Ademais, o Departamento desenvolveu convênios com instituições de ensino no exterior, que proporcionam intercâmbios de residentes e discussões de casos via web.

Nossos médicos residentes são expostos à mais moderna tecnologia, ao mesmo tempo em que aprendem a amadurecer o comprometimento social e espírito humanista exigidos da profissão médica, sob supervisão direta do corpo docente do Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da EPM, notório pela constante atualização técnico-científica e pela liderança nos cenários nacional e internacional da Oftalmologia. Nosso programa pioneiro de “Mentoria na Residência” estabelece um processo de apoio à aprendizagem e desenvolvimento profissional e pessoal do residente.

Com esses objetivos, o Programa estimula desde a experiência em serviços de grandes universidades norte-americanas e europeias, por meio de estágios opcionais e cursos de curta duração e congressos, até a participação em campanhas comunitárias em São Paulo e nos rincões do Brasil, com ênfase nos segmentos sociais mais vulneráveis às doenças oculares e à cegueira.

O Programa de Residência Médica está entre os mais concorridos do país e de todos os programas oferecidos pela EPM. Os residentes obtêm, tradicionalmente, as maiores notas no Concurso elaborado pela Comissão de Residência Médica da Universidade.

Na prova nacional para título de especialista, realizada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, nossos Residentes têm obtido as maiores notas, e os Supervisores da Residência têm frequentemente recebido o Prêmio de Melhor Coordenador do Brasil. Nossos médicos residentes ocupam posições acadêmicas de destaque no Brasil e no exterior, demostrando a excelência do nosso Programa. Em 2021, mais uma vez, conquistamos a maior média institucional, a maior nota individual e 100% de aprovação, além do novo prêmio de maior nota do módulo de refratometria. Uma verdadeira tríplice coroa da Oftalmologia.

Supervisores do Programa de Residência Médica em Oftalmologia: o chefe do Departamento até 1996, Paulo Augusto de Arruda Mello (1997 – 2008), Wallace Chamon (2009 – 2010), Augusto Paranhos Jr. (2011 – 2016) e Ivan Maynart Tavares (2017 – 2021). Supervisor do Programa de Residência Médica em Transplante de Córnea: José Álvaro P. Gomes (2010 – …).

Além disso temos cursos de especialização lato sensu (fellowship) em todas as seções da Oftalmologia, e contamos, em 2021, com 67 alunos, que já são oftalmologistas e decidiram aprofundar sua formação clínico-cirúrgica.

Destes 88 anos comemorados agora pela gloriosa Escola Paulista de Medicina, são 84 anos desta casa dedicados à visão, contando com mais de 400 colaboradores, entre os quais muitos dos maiores cirurgiões, professores e pesquisadores do mundo. Docentes, mestres, doutores, livres-docentes, residentes, fellows, tecnólogos, enfermeiros e pessoal de apoio trabalhando para o desenvolvimento de estratégias para aplicação de alta tecnologia em larga escala, maximizando recursos humanos e materiais, visando à atenção à saúde ocular da população.

Missão

Contribuir para o avanço da Oftalmologia, prover qualidade visual, prevenir a cegueira e tornar a oftalmologia moderna acessível a todos, independentemente de raça, sexo, cor e condições socioeconômicas e culturais.

Visão

Tornar-se o maior parque de tecnologia de ponta em oftalmologia, acessível ao paciente do SUS

Valores

Ética, transparência, efetividade e competência.


Vídeo institucional

APRESENTAÇÃO

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA E CIÊNCIAS VISUAIS: CLIQUE AQUI


ENGLISH PRESENTATION

DEPARTMENT OF OPHTHALMOLOGY & VISUAL SCIENCES: CLICK HERE


Última atualização em 07 de julho de 2021.

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.