Quem somos

[Web-Dorado_Zoom]

Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina (EPM) – UNIFESP teve início em 1937 e há 83 anos forma os melhores Oftalmologistas do Brasil. Nossa presença é marcante entre as instituições mais importantes da América Latina, atuando na Escola Paulista de Medicina – EPM, Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Hospital São Paulo – HSP-HU. Também assessoramos o Banco de Olhos do Hospital São Paulo.

Além do atendimento de rotina, desenvolvemos campanhas comunitárias através de ações preventivas e terapêuticas, em diversos locais do país, dando ênfase especial aos segmentos sociais mais vulneráveis às doenças oculares e à cegueira (crianças e idosos), com programas de sucesso que vão desde o exame de recém-nascidos prematuros até pacientes centenários.

Assistência à saúde

O Departamento, como clínica oftalmológica dos hospitais universitários da UNIFESP, tornou-se referência nacional e em toda a América do Sul em assistência oftalmológica de ponta 100% SUS. Conseguimos oferecer todos os tratamentos aprovados no país, com alta qualidade e alta eficiência, por meio de equipamentos de alta tecnologia e da formação contínua de especialistas, que são referência em suas áreas e estão espalhados por todo o país. Assim cumprimos funções da Universidade de gerar e semear conhecimento, possibilitando a criação de polos oftalmológicos, em todo o Brasil, por nossos egressos.

Em 2019, foram mais de 106 mil consultas ambulatoriais, mais de 70 mil consultas de pronto-socorro da oftalmologia, mais de 75 mil exames complementares e mais de 90 mil cirurgias microscópicas, contribuindo enormemente para melhorar a saúde oftalmológica da população assistida pelo SUS.

Ensino e pesquisa

Oferecemos cursos de extensão, especialização, aperfeiçoamento, mestrado, doutorado e pós-doutorado, frequentados por profissionais de todo o Brasil e da América Latina, bem como Estados Unidos, África, Ásia e Europa, em busca da excelência de um centro de referência internacional. Mantemos convênios de intercâmbio com instituições nacionais e internacionais nos Estados Unidos, Canadá e Europa.

Ensino de Graduação em Medicina e em Tecnologia Oftálmica, oferecendo oportunidades e recursos econômicos e humanos para manutenção dessas atividades de ensino no nível de excelência de alta qualidade intelectual e tecnológica.

Nossos cursos de pós-graduação mantêm a liderança em todo o Brasil, no conhecimento dos processos da visão e da oftalmologia, de forma abrangente e multidisciplinar. Envolvem médicos, tecnólogos, psicólogos, biólogos, enfermeiros e outros profissionais de atividades da saúde ocular e visual. Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado acadêmicos em Oftalmologia e Ciências Visuais, e um Mestrado Profissional em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular. Atualmente são 106 alunos de pós-graduação stricto sensu; e já formamos mais de 560 mestres ou doutores, que estão espalhados por todo o país, em inúmeras universidades em outras cidades e estados.

Nosso Programa de Residência Médica, que se mantém entre os dois melhores do país há vários anos, recebe 10 médicos por ano, tem duração de três anos, além de um quarto ano opcional em transplante de córnea, dando um total de 34 médicos residentes, financiados pelo MEC. Além disso temos cursos de especialização lato sensu em todas as subáreas da Oftalmologia, pela UNIFESP, e contamos, em 2020, com 64 alunos, que já são oftalmologistas e decidiram aprofundar sua formação clínica.

Laboratórios na área da Oftalmologia, Eletrofisiologia Visual, HIV/AIDS, células-tronco, Bioengenharia Óptica, Microbiologia, Citologia, Técnica Cirúrgica (wet lab, dry lab, simulador cirúrgico), Patologia e Telemedicina e Inteligência Artificial.

O Setor de Pesquisa Clínica em Oftalmologia, em parceria com as mais conceituadas instituições de todo o mundo, desenvolve e lidera inúmeros projetos de pesquisa clínica, para desenvolvimento e aprovação de novas terapias e medicamentos.

Um serviço dedicado à visão, que conta com mais de 300 colaboradores, entre os quais muitos dos maiores cirurgiões, professores e pesquisadores do mundo. Docentes, mestres, doutores, livres-docentes, residentes, fellows, tecnólogos, enfermeiros e pessoal de apoio se dedicando ao desenvolvimento de estratégias para aplicação de alta tecnologia em larga escala, maximizando recursos humanos e materiais.

Missão:

Contribuir para o avanço da Oftalmologia, prover qualidade visual, prevenir a cegueira e tornar a oftalmologia moderna acessível a todos, independentemente de raça, sexo, cor e condições sócio-econômico- culturais.

Visão:

Tornar-se o maior parque de tecnologia de ponta em oftalmologia, acessível ao paciente do SUS

Valores:

Ética, transparência, efetividade e competência


Vídeo institucional


Histórico

A Escola Paulista de Medicina (EPM) foi a 11ª a ser criada no país. Seu manifesto de Fundação foi publicado em 1 de junho de 1933. Instalou-se em sede definitiva à Rua Botucatu em 30 de setembro de 1936 e inaugurou-se o Pavilhão Maria Thereza em 19 de junho de 1937. Foi reconhecida oficialmente em 31 de maio de 1938 e a federalização da Escola ocorreu pelo Decreto Presidencial de 21 de janeiro de 1956.

O serviço de oftalmologia da Escola Paulista de Medicina iniciou seus trabalhos assistenciais e de pesquisas em 1937, mesmo antes da primeira turma desta Escola, fundada em 1933, atingir a sexta série. Seu primeiro catedrático foi o Prof. Moacyr E. Álvaro, que em 1942 fundou o Centro de Estudos em Oftalmologia que leva o seu nome. Em 1945, instituíram-se os primeiros cursos de especialização em Oftalmologia e, em 1947, o primeiro Curso de Ortóptica no Brasil. Permaneceu como professor até 1957, quando prematuramente veio a falecer.

Seu substituto na Disciplina de Oftalmologia foi o Prof. Renato de Toledo, o qual cuidou da estruturação em Seções Especializadas, por onde os residentes e pós-graduando pudessem estagiar. O quadro de professores na da Disciplina na época era composto por Renato de Toledo, como titular; Rubens Belfort Mattos, José Belmiro de Castro Moreira, Paulo Bei, Milton Correa Meyer, cmo adjuntos; José Carlos Reys e Ricardo Uras, como assistentes; Rubens Belfort Jr., como auxiliar de ensino; e Ernesto Consoni, como colaborador, além das ortoptistas Alexina Ferreira, Dalel Haddad, Maria Cecília Lapa da Silva, Doris Blay e Sueli Muller.

A disciplina sempre contou com a colaboração de profissionais voluntários e destacamos aqui o saudoso Prof. José Carlos Gouvêa Pacheco, responsável pelo estágio em oncologia ocular, uma vez que era Chefe da Clínica Oftalmológica do Hospital A. C. Camargo da Fundação Antonio Prudente.

Outros professores contribuíram grandemente na formação do nosso hoje Departamento de Oftalmologia: Alexandre Tena Almada, Hamleto Emílio Molinari, José Ricardo Carvalho de Lima Rehder, e Mariza Toledo de Abreu.

O Curso de Especialização foi credenciado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia em 1978, sob chefia do Prof. Renato de Toledo, e o Programa de Residência foi credenciado pelo CNRM/MEC em 1982.

Em 1990 os docentes da Residência fundaram o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisa em Oftalmologia – IPEPO, entidade sem fins lucrativos, de caráter filantrópico que presta serviços médicos e cirúrgicos em projetos assistenciais e didáticos com a missão de promover, de modo sustentável e inovador, a gestão de recursos, apoiando o ensino, pesquisa e assistência oftalmológica.

Os objetivos da Residência sempre foram: o ensino da especialidade, de tal forma que o aluno pudesse ter apropriado conhecimento teórico de oftalmologia, capacidade de aplicá-lo na prática médica com responsabilidade social; desenvolver no jovem médico o interesse em atualizar seus conhecimentos e a capacidade de criar novos e melhores métodos propedêuticos e terapêuticos; capacitá-lo para comunicação com o paciente dentro de conduta ética e alto senso de profissionalismo; aprimorar o espírito crítico com entendimento real do que é metodologia científica.

Para cumprir esses objetivos o Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina estruturou-se com 21 setores clínicos e nove laboratórios de pesquisa e ensino, além dos clássicos, como por exemplo, Retina, Glaucoma, Motilidade Ocular, Óptica Cirúrgica, também engloba setores de inovação (Bioengenharia ocular – células tronco, Pesquisa Clínica, Centro de Treinamento de Pesquisa Cirúrgica).

No início da Residência os médicos são apresentados à especialidade com um Curso Básico intensivo, e, posteriormente, participam do Programa Avançado de Ensino Teórico da Oftalmologia (PAETO). São aulas que fazem parte da grade de atividades obrigatórias. A cada período estipulado pelos preceptores, um setor é convocado para ministrar aulas com temas atuais.

Anualmente os Residentes participam do Simpósio do Departamento (SIMASP), que reúne aproximadamente 2.500 profissionais, e o Research Days, em que há apresentação de trabalhos científicos desenvolvidos no Departamento, com discussão por professores convidados do exterior.

Os alunos semanalmente têm oportunidade de frequentar as reuniões clínicas dos setores, e da reunião geral do serviço (Grand Rounds), do qual participam várias outras instituições de ensino nacionais e internacionais.

As atividades dos residentes são desenvolvidas inteiramente no complexo Hospital São Paulo (HSP-HU), HU2, EPM / Campus SP da UNIFESP. Ademais, o Departamento desenvolveu convênios com Instituições de Ensino do exterior que proporcionam intercâmbios de residentes e discussões de casos online (teleconferências).

Os residentes têm oportunidade de acompanhar trabalhos comunitários de atendimento à população menos privilegiada do Brasil, bem como acompanhar as atividades do setor de pesquisa Clínica que, em parceria com as mais conceituadas instituições de todo o mundo, já desenvolveu ou desenvolve mais de 80 protocolos de pesquisa clínica e cirúrgica para estudo e aprovação de novas terapias e medicamentos.

Com o passar dos anos, os jovens foram desenvolvendo atividades em conjunto com a pós-graduação stricto sensu. O curso de pós-graduação mantém a liderança em todo o Brasil no conhecimento dos processos da visão e da oftalmologia de forma abrangente e multidisciplinar. Envolve médicos, tecnólogos, psicólogos, biólogos, enfermeiros, veterinários, e outros profissionais de atividades da saúde ocular e visual. Há vários anos têm mantido a maior nota CAPES do país, na sua área, formando professores e pesquisadores. Mais recentemente foi estruturado o Mestrado Profissional em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular, que vem crescendo e se destacando no país.

O Centro de Estudos Moacyr Álvaro realiza cursos complementares para a formação dos Residentes e comunidade, além de disponibilizar, para uso interno, a sua biblioteca.

A procura pelo Programa de Residência em Oftalmologia do Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina tem sido muito grande e os candidatos eleitos obtêm tradicionalmente as maiores notas no Concurso elaborado pela Comissão de Residência Médica da Universidade. Nas avaliações dos jovens oftalmologistas realizadas pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, os Residentes têm as maiores notas, e os Supervisores da Residência têm frequentemente recebido o Prêmio de Melhor Coordenador do Brasil.


Apresentação

Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais: Clique aqui


English presentation

Department of Ophthalmology & Visual Sciences: Click here


Última atualização em 16 de outubro de 2020.