Manual do Pós-Graduando

Processo de passagem de estágio probatório (PG0) para PG1

Os candidatos ao Curso de Mestrado ou Doutorado serão admitidos como alunos em estágio probatório, devendo elaborar projeto de pesquisa que obrigatoriamente deverá ser englobado por alguma Linha de Pesquisa do Programa.

A duração do período do estágio probatório será de 12 meses, podendo prorrogado, mediante solicitação do seu orientador .

A matrícula do candidato ao Curso de Mestrado ou Doutorado será efetivada mediante a avaliação de seu desempenho no decorrer do período probatório e aprovação pela CEPG. A solicitação de matricula é feita pelo orientador.

Excepcionalmente, o aluno poderá ser matriculado no Curso de Mestrado ou Doutorado, independentemente de cumprir o período de estágio probatório, mediante a análise do projeto de tese pela CEPG.

Processo de passagem de Mestrado para Doutorado

O orientador solicita essa passagem baseado na apresentação de todos os dados já colhidos pelo aluno, com a respectiva análise estatística.

O aluno deverá fazer uma qualificação composta de:

  • Apresentação oral formal de 30 minutos para o orientador e mais 2 professores da CEPG Oftalmo, em PowerPoint contendo introdução, objetivo, material e métodos, resultados (c/análise estatística) e discussão.
  • Fornecer 03 exemplares da parte escrita com 1 mês de antecedência contendo de forma sucinta Introdução, Material e Métodos, Resultados (com análise estatística) e Discussão.

O aluno deve residir a mais de 100 km do perímetro urbano de São Paulo.

Podem cumprir tantos os créditos obrigatórios como opcionais, a partir do momento que estes tenham a mesma característica e carga horária exigida pelo Programa de Pós-Graduação da UNIFESP/EPM em outras Universidades.

  1. Comissão “ad hoc” composta pelo vice e coordenador da Pós-Graduação de Oftalmologia, analisam e aprovam a creditação;
  2. Os certificados devem vir acompanhados de carta confirmatória assinada pelo Chefe de Departamento e Prof. Titular em vigência, na Universidade onde tais créditos foram cumpridos.
  3. Ressaltamos que só serão aceitos créditos realizados em Serviço Credenciado pelo CBO ou MEC. O PG pode fazer seu curso à distância, tanto de Oftalmologia como Ciências Visuais, tendo a concordância do seu Professor Orientador e ressaltando-se que deverá cumprir os créditos obrigatórios e opcionais, com a mesma especificidade e carga horária, e deverá também, obrigatoriamente, participar do “Research Days”.

Programa de Pós-Graduação em Oftalmologia  e Ciências Visuais atualmente possui 25 bolsas de doutorado e 03 de mestrado, concedidas pelo Programa de Excelência – PROEX – CAPES . Esse número está relacionado a nossa nota quadrienal da CAPES.

O critério para fornecimento de bolsas CAPES é de:

  1. Estar matriculado;
  2. Disponibilidade da bolsa;
  3. Residir na cidade de São Paulo;
  4. Dedicação em pesquisa no Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais
  5. Andamento do desenvolvimento da tese (mostrar resumo com possíveis resultados);
  6. Produtividade e Curriculum Orientador

Outras bolsas oriundas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPQ e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP são também fornecidas, tanto para os cursos de Mestrado Acadêmico, Doutorado e Pós-doutorado.

Estas bolsas podem ser obtidas através de aplicação pelo Pós-graduando com a ajuda do professor orientador nos respectivos endereços eletrônicos acima.

O PDSE – CAPES foi instituído em 2011, em substituição ao Doutorado Sanduíche Balcão e ao Programa de Doutorado no País com Estágio no Exterior (PDEE). A alteração visou ampliar o número de cotas concedidas às Instituições de Ensino Superior (IES), e dar maior agilidade no processo de implementação das bolsas de estágio de doutorando no exterior.

A Pró-Reitoria de Pós-graduação da UNIFESP é responsável por gerenciar as cotas, homologar as candidaturas, divulgar os resultados e realizar o acompanhamento dos bolsistas e egressos, mantendo a Capes informada sobre o andamento do estágio no exterior e garantindo o cumprimento das normas do PDSE.

Inscrição

  • Fluxo contínuo – as inscrições estão continuamente abertas aos possíveis candidatos, que deverão participar de processo seletivo na sua Instituição de Ensino Superior. Cabe ao candidato e à IES verificar também os prazos dos trâmites internos da Capes e outras providências que devem ser adotadas antes da implementação da bolsa, para que a data de início das atividades no exterior seja cumprida de acordo com o especificado na Carta de Concessão.
  • O candidato deve apresentar Plano de Pesquisa e toda a documentação necessária para a seleção prévia à Comissão de Seleção de Candidatura em sua Instituição.
  • A Comissão fará a análise e seleção e, se aprovado, o candidato deverá fazer a inscrição online no site da Capes, para que seja homologada pela Pró-reitoria. A Pró-reitoria, deverá verificar a documentação pertinente à candidatura e validar as inscrições ao PDSE, mediante Homologação na página eletrônica da Capes, atendendo às cotas disponíveis na IES e comunicando a aprovação do(a) doutorando(a) por meio de mensagem para pdse@capes.gov.br , constando nome completo, período do estágio (mês/ano início e fim) e universidade/país de destino. A Carta de Concessão emitida pela Capes será repassada ao aluno pela Pró-Reitoria.
  • Para implementação da bolsa, o aluno aprovado deve enviar a documentação solicitada, em arquivo .pdf, por meio de seu processo eletrônico, conforme orientação recebida.
  • Requisitos e condições devem ser observados conforme o regulamento e manual de candidatura.
  • É vedado o acúmulo de bolsa destinada à mesma finalidade, quando concedida por agência de fomento brasileira. Estudantes/pesquisadores que já usufruíram da bolsa no exterior não poderão ser contemplados novamente, na mesma modalidade, mesmo após o cumprimento do interstício exigido, exceto para bolsas de pesquisa pós-doutoral.

Maiores informações: http://www.capes.gov.br/component/content/article?id=4561

 

CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS

Doutorado = 40 créditos
Mestrado = 25 créditos

01 crédito equivale a 15 horas

O aluno de pós-graduação necessita cumprir um número pré-determinado de créditos obrigatórios e opcionais. O número total de créditos é de 25 para a modalidade Mestrado e 40 para Doutorado. Necessário cumprir todos os créditos para a defesa da tese.

Créditos Obrigatórios: tanto para Mestrado com o Doutorado, nos dois cursos, Oftalmologia e Ciências Visuais são listados na tabela abaixo.

Obrigatórios para Mestrado e Doutorado em Oftalmologia

CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS HORAS CRÉDITOS
Didática Especial I 300 20
Didática Especial II(aulas graduação) 45 03
Educação Continuada em Oftalmologia e Ciências Visuais (Grand-Round) 60 04
Atualização em Pesquisa Oftalmológica (Research Days)* 30 02
Teses Assistidas (06 obrigatórias) 15 01
Bioestatística 36 02
Epidemiologia 60 04
Metodologia Cientifica 48 03

 

Total: 38 créditos

 

CRÉDITOS OPCIONAIS

CRÉDITOS OPCIONAIS HORAS CRÉDITOS
Curso de pesquisa bibliográfica e Metodologia do trabalho científico para Pós-Graduandos da UNIFESP/EPM 96 6,4
Curso de pesquisa bibliográfica: Medline, Lilacs, Decs, Scad e portal de revistas científicas (Online) 120 08
Biologia Molecular 20 1,5

OPCIONAIS PARA CIÊNCIAS VISUAIS

CRÉDITOS OPCIONAIS HORAS CRÉDITOS
Psicologia Sensorial 160 10,5
Bases Fisiológicas da visão 20 1,5
Seminários em Eletrofisiologia visual 120 08
Seminários em alterações visuais relacionadas do esforço físico 60 04

 

  • Atividades opcionais que poderão valer créditos
CRÉDITOS OPCIONAIS HORAS CRÉDITOS
Aula para Pós-Graduação 15 01
Aula para Extensão 15 01
Aula para Graduação – exceto aulas obrigatórias p/ o 5o ano 15 01
Apresentação de caso (06 apresentações) 15 01
Coordenação de curso ou simpósio em evento científico (02 eventos) 01
Aula em evento científico  (02 eventos) 01
Apresentação de tema livre (exceto research days) 01
Apresentação de trabalho na arvo como 1o autor 04
Apresentação de trabalho na arvo como co-autor 01

 

  • Publicações
CRÉDITOS OPCIONAIS HORAS CRÉDITOS
Brasil, como 1o autor 2
Brasil, como co-autor 1
Exterior, como 1o autor 6
Exterior, como co-autor 3

 

Detalhamento das Atividades Obrigatórias:

Os créditos obrigatórios realizados fora da UNIFESP deverão ter a mesma especificidade e carga horária exigidas pela CPG da Universidade e serão avaliados pelo coordenador CEPG Oftalmologia.

  • Didática Especial I: Atividade no ambulatório, laboratório ou local onde está sendo desenvolvido o projeto de estudo sob coordenação do seu orientador.
  • Didática Especial II: Consiste em aulas dadas aos acadêmicos dos Cursos de Medicina e Tecnologia Oftálmica da UNIFESP/EPM. São coordenadas por Professor do Departamento que passará todas as instruções necessárias de como o PG deve se preparar para tais aulas.

Alunos do 5º ano médico (Internato)

Dadas pelos PGs do curso de Oftalmologia e consistem em aulas práticas, as segundas e sextas-feiras (8 horas semanais), em um total aproximado de 12 aulas.

Alunos da tecnologia oftálmica

Dadas pelos PGs de Ciências Visuais e consistem em aulas teóricas

A escala para as aulas é feita no início do ano letivo pelo representante dos PGs com as seguintes regras:

As aulas são obrigatórias até que o PG defenda a tese;

São permitidas trocas, mas o PG escalado pelo representante é o responsável e deve responder na ausência da troca;

Uma falta implica na repetição do curso como um todo, não cabendo justificativa.

  • Grand Round – Curso de Atualização Continuada em Oftalmologia e Ciências Visuais

Reuniões científicas que ocorrem às segundas-feiras, das 19:30 às 21:00 horas, no Anfiteatro Boris Casoy, localizado à Rua Botucatu, 821

Freqüência obrigatória de 75% das reuniões

  • Research Days – Congresso de Atualização em Pesquisa Oftalmológica

Congresso anual do Departamento realizado ao final de cada ano, onde todos os PG’s apresentam os resultados dos estudos em andamento.
A língua oficial do congresso é o inglês, ou seja, todos os resumos, apresentações e discussões devem ser em inglês. Os trabalhos são comentados pelos orientadores e professores convidados.
Pós-Graduandos desenvolvendo teses no exterior devem enviar o resumo da tese, mas são dispensados da presença local.

  •  Presença em Defesas de Tese

O PG deve assistir por completo um mínimo de 06 defesas de tese de doutorado, independente do curso que esteja fazendo (Oftalmologia ou Ciências Visuais) ou da modalidade (mestrado ou doutorado).

*A cada ano de permanência no programa o aluno deverá repetir as atividades de Didática I e II, Educação continuada em Oftalmologia e Ciências Visuais(Grand Round) e Atualização em Pesquisa Oftalmológica  (Research Days)

 

– Exigido para todos alunos nível Doutorado Acadêmico

– Prazo

  • Quando o orientador considerar adequado e necessário

– Prazo para agendamento junto a secretaria da PPG: 40 dias de antecedência

  • O agendamento é solicitado pelo Orientador

– Documentação para agendamento:

Banca de Qualificação

  • 3 membros titulares com titulação mínima de doutorado
  • 1 membro suplente com titulação mínima de doutorado

Desejável 01 membro egresso do programa

Todos residentes em São Paulo

Não incluir o Orientador

  • Projeto e resultados do estudo (entregar 4 cópias impressas e encadernadas em espiral que será encaminhada para banca e suplente)

– Duração do Exame de Qualificação:

  • Tempo máximo de exame = 2h30mim
    • Até 20 min para apresentação do projeto
    • Até 20 mim para cada arguidor
    • Até 20 min para respostas a cada arguidor

– Resultado Exame de Qualificação:

  • Aprovado
  • Aprovado com modificações
  • Reprovado
    • Poderá tentar mais um exame de qualificação e se reprovado novamente será eliminado do Programa

Os primeiros passos para iniciar o processo de defesa de tese são:

  • Ter no mínimo 02 anos matriculado como PG1 Doutorado
  • Ter no mínimo 01 ano matriculado como PG1 Mestrado
  • Ter realizado o exame de qualificação
  • Ter realizado todos os créditos obrigatórios
  • Ter a aprovação pela banca prévia da tese (vide item banca prévia)

Formatação:

Ver menu: Normas para Teses e Dissertações

Estilo “Notorious Saber”:

Somente para nível Doutorado

Em forma de artigos – regras – somente para doutorado – mínimo de 03 publicações, sendo estas:

  1. 02 artigos internacionais; publicações recentes tendo o aluno como primeiro (o mais relevante) ou segundo autor (menos relevante), na mesma linha de pesquisa, oriunda exclusivamente da tese, tendo o orientador e ou co-orientador como co-autor;
  2. 01 artigo nacional obrigatoriamente como primeiro autor
  3. Formatação: Ficha catalográfica, índice, resumo e abstract, introdução (não incluem revisão da literatura), objetivos e conclusões, discussão sucinta dos artigos. Bibliografia complementar (opcional), anexos deverão incluir termo de consentimento, aprovação do CEP,  a ficha de avaliação no caso de estudos clínicos, tabela de resultados (opcional).

Aprovação pela Banca Prévia (ambos os estilos)

A banca prévia é obrigatoriamente composta de um professor da CEPG Oftalmologia, escolhido pelo orientador.

Lembramos que o professor da banca prévia tem o direito de participar na composição da banca final, podendo ou não, conforme sua vontade, fazer uso desse direito.

Com um mínimo de 30 dias, o PG deverá entregar uma cópia escrita ao professor que realizará a banca prévia de tese já no formato oficial final (podendo ser em encadernação espiral, não havendo necessidade de capa dura).

Deverá também entregar o artigo científico formatado para a revista na qual pretende publicar a tese para doutorado revistas pertencentes ao ISI/MEDLINE e para mestrado no mínimo pertencente ao SCIELO.

O professor que fez a banca prévia deverá enviar uma mensagem de e-mail oficial à secretaria da pós-graduação em Oftalmologia (pgsecretaria@oftalmo.epm.br) aprovando ou não a prévia.

Somente após o recebimento dessa mensagem será permitida a marcação da data da defesa.

O professor co-orientador não pode fazer a banca prévia e/ou participar da banca.

Impressão (ambos os estilos)

Imprimir as teses em formato de livro:

  1. Mestrado = 03 teses para os titulares e 01 para o suplente
  2. Doutorado = 05 teses para os titulares e 02 para os suplentes
  3. As capas das teses deverão seguir os modelos abaixo:
    1. Modelo de capa de Mestrado
    2. Modelo de capa de Doutorado

Documentação a ser encaminha a secretaria da CEPG Oftalmo para agendamento da Defesa

  1. Proposta de Banca Examinadora de Mestrado ou Doutorado preenchida pelo orientador
  2. Formulário de Encaminhamento de Tese / Dissertação
  3. 07 Teses impressas (Doutorado) 04 Dissertações impressas (Mestrado). Os membros da banca  têm por regra um prazo de 30 (trinta) dias para ler a tese. Portanto, seguindo este roteiro, os documentos necessários devem ser providenciados com um prazo mínimo de um mês e meio a dois meses de antecedência da data que queiram agendar a Defesa;
  4. Arquivo da tese em PDF (CD).
  5. Parecer de aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da UNIFESP;
  6. Faça download dos arquivos para preenchimento:
    Proposta de banca de Doutorado
    Proposta de banca de Mestrado
    Formulário de Encaminhamento de Banca (impresso em duas vias)

Entregar toda documentação acima com no mínimo 45 dias que antecede a data de agendamento  da defesa na secretaria do departamento.

Rua Botucatu, 821 – 2º andar | das 08:00 às 16:00 horas

Doutorado

  • Defesa pública; a data deve ser agendada com antecedência na secretaria da pós-graduação da Oftalmo (idealmente um mínimo 02 de meses);
  • Após recebimento da tese pela banca, esta tem um prazo de 30 dias para avaliação;
  • A data depende do item acima e da disponibilidade dos anfiteatros;
  • Defesa pública;
  • Tempo total máximo da defesa é de 5 horas e meia;
  • Aula de 30 minutos;
  • Argüição: máximo de 30 minutos de perguntas por cada membro da banca com máximo de 30 minutos de resposta por parte do aluno;
  • Estilo da argüição (todas as perguntas de uma vez e respostas ao final ou perguntas seguidas de respostas) e ordem de chamada da banca a serem definidos pelo presidente da banca e seus componentes.

Mestrado

  • Defesa publica – apenas se solicitado pelo aluno com anuência do orientador
  • Emissão de parecer de aprovado/ reprovado pelos membros escolhidos pelo orientador

Normas para Teses e Dissertações

Esse guia tem como objetivo orientar os pós-graduandos na elaboração de suas dissertações e teses. Pretende também, contribuir para a padronização dos trabalhos produzidos na Universidade Federal de São Paulo – Campus São Paulo

Clique para acessar:

Normas para Teses e Dissertações

Como citar este trabalho:
Normas para teses e dissertações [Internet]. 2a ed. rev. e corrigida. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, Biblioteca Antônio Rubino de Azevedo, Coordenação de Cursos; 2015 [cited Year Month Day]. Available from: http://www.bibliotecacsp.unifesp.br/Documentos-Apostila/normas-para-teses-e-dissertacoes